quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Lição 7ª - A Chegada do Anticristo

Significado do prefixo "Anti" [Do gr. antí.]
Com os significados de: ‘em frente’, ‘de encontro a’, ‘ação contrária’, ‘oposição’, ‘contrariedade’, ‘contra’, por exemplo: antiácido, anticlerical, antidemocrático, antífen. (Dicionário Aurélio)
Significado da expressão anticristo [Do lat. tard. antichristu.]
Substantivo masculino.
1. Personagem que, segundo o Apocalipse, virá antes do fim do mundo, semear a impiedade até ser afinal vencido por Cristo.
2. A personificação de tudo que se opõe a Cristo, ao cristianismo, aos cristãos.
3. P. ext. Qualquer perseguidor feroz dos cristãos. (Dicionário Aurélio)
Segundo o Dicionário da Bíblia de Almeida
Palavra de origem grega que quer dizer "contra Cristo" {1Jo 2.18,22; 4.3; 2Jo 1.7}. A idéia do anticristo se relaciona com o HOMEM DA INIQÜIDADE e com as BESTAS (2) do Apocalipse.
Sinônimos de Anticristo, Falso Cristo. (Bíblia OnLine 3.00)
Ver Definição para qeudocristov
Ver Definição para anticristov
qeudocristov significa falso Cristo, pretenso Messias, que exalta a si mesmo ao invés de Cristo, proclamando que é o Cristo.
Alguns têm dado o mesmo sentido a anticristov. Mas é muito mais provável que signifique alguém totalmente oposto a Cristo, alguém que exalta a si mesmo contra Cristo, proclamando que não há Cristo.
Segundo a Enciclopédia de Orlando Boyer
Um rival, um que é contra, usurpando o nome e as prerrogativas que pertencem unicamente a Cristo. Apesar da palavra aparecer somente em (1 Jo 28, 22; 4.3; 2 Jo 7), as Escrituras ensinam muito sobre o anticristo. O povo de Deus, no tempo dos apostólos esperavam a vinda do anticristo, (1 Jo 2.18); ele não confessará que Jesus veio em carne (2 Jo 7)
O anticristo do qual trata a lição será uma pessoa humana que representará física e notadamente o Diabo.
De acordo com o 2º Ponto do II Tópico da Lição em estudo, e com as Escrituras, no início, o Anticristo fará um pacto com Israel, restaurando a antiga prática de sacrifícios no Templo em Jerusalém (Dn 9.20-27). Obs.: O Templo atualmente não existe, no lugar onde existia se encontra hoje a mais famosa mesquita "de Omar" dos mulçumanos, ou seja, essa Mesquita terá que dar lugar ao Templo que será reerguido! Israel é o relógio, fiquemos alertas!
Atenção! Há muitas teorias sobre momento exato do aparecimento do anticristo, contudo, não possuem nenhuma base convicente para crermos nelas, por exemplo, Em o Novo Testamento Interpretado de R. N. Champlim no Cap. 2 de I Jo vers. 18 ele traz sobre a posição do comentário dele a respeito do assunto em pauta, "que o anticristo surgirá em cena no início da década de 1990.
É bem verdade que ele já possa estar entre nós (na atual geração, tendo sua idade indeteminada), porém não devemos afirmar tal posição, pois, como vimos acima, a reconstrução do Templo ainda não foi iniciada, que por sua vez é um dos sinais do retorno de Cristo!
Em contrapartida, está atuante no mundo o espírito do anticristo que se opõe a Cristo e a tudo que se relaciona com Deus!
O sistema do mundo está sendo preparado para recebê-lo, ou seja, tudo converge para o seu advento; isso não quer dizer que O Senhor não possa detê-lo ou impedir sua aparição, pelo contrário, Deus pemitirá que isso aconteça para humilha-lo e a quem está por trás dele; a Palavra de Deus confirma a sua vinda "Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora" (1 João 2:18) e a Bíblia fala não só que ele vem, mas também nos informa o lugar para onde ele vai (Ap 19.20); para a igreja do Senhor não importa se o anticristo vem ou não, o que é imprescindível para a noiva do Cordeiro é o retorno arrebatador de Cristo, pois a mesma aguarda este e não aquele!

A aparição do Anticisto, após o arrebatamento da Igreja, com certeza marcará uma nova fase na história da humanidade. Por isso, os fiéis não podem vacilar; precisam viver em vigilância total, pois antes que o "contra" Cristo apareça, a Igreja já não vai estar mais no mundo.

Algumas seitas que negam a divindade de Cristo

TJ's (Testemunhas de Jeová) um tipo de anticristos

Tradução do Novo Mundo diz em Jo 1.1 que Jesus era 'um' deus, ou seja, negando a equivalência entre Deus Pai e Deus Filho.

Mórmons (Igreja de 'Jesus Cristo' dos Santos dos Últimos Dias) um tipo de anticristos

Jesus Cristo para eles não foi gerado pelo Espírito Santo, teve várias mulheres como Marta e Maria irmãs de Lázaro e Maria Madalena era outra esposa. A obra expiatória de Cristo tem significado bem diferente para o mormonismo. A salvação para eles é pelo arrependimento, batismo, fé e boas obras, detalhe não mencionam nem Jesus e nem sua Obra Redentora, portanto, estão bem distantes do que ensina a Bíblia, que diz que a salvação é pela graça mediante a fé (Ef 2.8,9) não necessitando de o homem executar nada para obtê-la, ou seja, menosprezam o Grande Sacrifício de Cristo, capaz de libertar qualquer pessoa, a qualquer hora e em qualquer lugar e transportá-la parao Reino do Filho do seu Amor (Cf. Cl 1.13).

Católicos ("Cristãos" Apotólicos Romanos) um tipo de anticristos

Decreto do concílio Vaticano II: “os fiéis devem venerar a memória primeiramente da gloriosa Maria, Mãe de Deus e de nosso Senhor Jesus Cristo”; venerar (dic. Aurélio) = render culto. Observamos nesse caso que o lugar de Jesus foi subtituído por outra pessoa que não é digna de tal posição!

A derrota do anticristo e de seus Exércitos (Ap 19.19-21)
As aves de rapina são chamadas (Ap 19.11) numa antecipação do desfecho da batalha. Elas estarão prontas e esperando o Anticristo entrar no grande vale ao sul de Nazaré. Este lugar já foi designado em Apocalipse 16.16 como Armagedom, o monte ou a colina de Megido que, em hebraico, significa "o lugar de rebeliões unidas". Há os que o definem como "a cidade ou o monte de matança". O profeta Joel (3.12) designou o lugar como "o vale de Josafá", ou seja: "o vale onde Jeová julga".
Megido não é o vale referido em Zacarias (14.4,5), onde Jesus aparecerá quando de sua volta em toda sua glória. Seus pés pisarão o monte das Oliveiras, que será rachado em duas partes, uma metade se movendo em direção ao norte, e a outra em direção ao sul, deixando um grande vale entre o Leste e o Oeste. Depois, aparentemente, irá Ele locomover-se em direção a Megido. (Megido é também o nome do vale de Taanaque (Jz 5.19), que é a Planície de Esdrelom. Foi neste lugar que Débora e Baraque derrotaram os cananeus. Foi aqui que Josias foi morto por Faraó-Neco, rei do Egito (2 Rs 23.29). Não foram poucas as batalhas travadas no vale do Megido).
João vê ainda o Anticristo acompanhado pelo seu falso profeta e os "reis e outros governadores da terra", cujos exércitos haviam sobrevivido à Grande Tribulação. Por haverem se submetido ao Anticristo (Ap 17.13), estes reis finalmente são chamados, e ajuntam-se aos espíritos demoníacos. Os exércitos de todas as nações unem-se sob a bandeira do Anticristo para desa­fiar a Cristo que estará acompanhado por todos seus verdadeiros seguidores.
As agências demoníacas fazem, nesta hora, exatamente o que Deus quer; preparam-se para a guerra (Jr 25.32,33; Sf 3.8; Zc 14.2,3; Ap 16.12,16). A guerra termina com a derrota do Anticristo e de seus exércitos, mas o julgamento divino afetará todo o resto do mundo (Jr 25.29-33).
Muitos falsos mestres ensinam que o bem gradualmente triunfará sobre o mal; que uma melhor educação trará a paz e a prosperidade ao mundo. Até mesmo alguns crentes apegam-se a certas promessas bíblicas que falam de amor e esperança, achando que o mundo mudará antes da volta de Cristo. Sem dúvida, haverá bom solo para receber a palavra de Deus. Haverá arrependimento e mudança de vidas até o tempo da volta de Jesus (At 3.19). Mas é totalmente oposta ao ensino bíblico a suposição de que todos os seres humanos serão eventualmente salvos. Pelo contrário: quase todo o mundo, nesta hora, seguirá o Anticristo, e há de tomar a marca da besta. Conseqüentemente, quando Jesus voltar para reinar, será necessário, antes de mais nada, julgar os que aqui tiverem ficado.
Embora o capítulo 19 de Apocalipse não descreva esta grande batalha, a aparência de Cristo sobre o cavalo branco há de confundir os exércitos do Anticristo (Ap 6.15-17). A batalha é de pouca duração. O Anticristo e o Falso Profeta serão imediatamente presos.
O Falso Profeta é o último de uma longa fila de falsos cristos e profetas que vêm operando enganos e mentiras (Mt 24.24). Seus milagres haviam enganado os que levavam a marca da Besta. Com os seus feitos, conseguia enganar a muitos (2 Ts 2.9,10; Ap 13.13-15), mas nada disto o ajuda a escapar. Juntamente com o Anticristo, é lançado vivo no "lago de fogo que arde com enxo­fre". Embora o lago de fogo tenha sido preparado para Satanás e seus anjos, esses seus dois agentes nele perecerão.
Satanás não é lançado imediatamente no lago de fogo (Ap 20.10). Somente o será depois do Milénio. Quando isto aconte­cer, lá encontrará o Anticristo e o Falso Profeta. Os demais ímpios serão aí lançados após o juízo do grande trono branco (Ap 20.15). O lago de fogo é o destino final dos ímpios.
No Novo Testamento, há três palavras traduzidas como "in­ferno" - hades, tártaro e geena.
"Hades" é usado para referir-se ao estado intermediário, onde os ímpios vão quando morrem (Mt 11.23; 16.18; Lc 10.15; 16.23; At 2.27,31; Ap 1.18; 6.8; 20.13,14). As vezes, é usado para traduzir a palavra hebraica "sheol" do Antigo Testamento.
"Tártaro" é praticamente sinônimo de "hades", porque também é um estado intermediário entre a vida e o juízo, do qual não há retorno ou possibilidade de mudança (2 Pe 2.4).
"Geena", entretanto, é o estado final, "inferno", ou "fogo de inferno" (Mt 5.22,29,30; 10.28; 18.9; 23.15,33; Mc 9.43,45,47; Lc 12.5; Tg 3.6) e refere-se ao "lago de fogo".
"Geena" foi o nome aramaico para o vale de Hinon, onde eram oferecidas crianças em holocausto a Moloque. No Novo Testamento, "geena" tinha se tornado o lugar da queima de lixo. Jesus usou-a por causa do seu fogo intenso e contínuo, como um tipo do julgamento divino, e fez deste nome um sinônimo para o fogo do castigo eterno.
Para os outros seguidores do Anticristo, também não há escape. O remanescente dos reis da terra e seus exércitos são mortos. Jesus usará a "espada de sua boca", isto é: falará a Palavra de Deus e a "espada do juízo divino" matará a todos. Estes são os povos que rejeitaram o Evangelho pregado a "toda nação, língua e povo" pelo primeiro dos três anjos do capítulo 14 durante a Grande Tribulação. Todos os mortos no Armagedom já haviam tido a oportunidade de ouvir o Evangelho. Mas por haverem rejeitado a Cristo, foi-lhes permitido cair em completo engano para que creiam na mentira, e para que sejam julgados todos os que não creram na verdade (2 Ts 2.11,12). Pelo seu modo de viver, já haviam esgotado qualquer possibilidade de herdar o Reino de Deus (l Co 6.9-11; Gl 5.21).
Mais uma vez, João chama a atenção às aves de rapina que agora estão fartas com as carnes dos mortos. Finalmente, não se encontra mais ninguém sobre a terra para impedir o estabelecimento do reino milenial de Cristo.