sexta-feira, 26 de março de 2010

OS PERIGOS DO DESVIO ESPIRITUAL

Jeremias 2.13 - Deus se compara a um "manacial de águas vivas". Ora, se temos uma fonte de água que através desta podemos nos saciar, beber à vontade e na hora que desejarmos, enfim, temos tal manacial disponível na nossa vida, por que iremos ter o trabalho de cavar uma cisterna furada (procurar em quem depositar a nossa fé?), visto que já temos de onde tirar água, não sendo necessário se esforçar pra conseguir uma coisa que já possuímos!?
Um cenário semelhante é o do "bezerro de ouro". Parece que Israel queria algo novo, como as outras nações, teria a opção de escolher qual deus honrar (Aquele que tirou nossos pais do Egito é uma opção certa, mas queremos algo diferente para que possamos dizer 'esse serve pra isso, aquele é especialista nisso, precisamos de algo que possamos apalpar, ver, acreditar em algo que não estamos vendo é difícil de aceitar! ... etc.).
Abandonar a fé em Deus, é como usufruir da bênçãos do Senhor, conhecer seu propósito para conosco e depois jogá-lo fora, como se fosse um copo descartável, ou seja, dizem eles: "foste útil até sairmos do Egito e entrarmos em Canaã, daqui pra frente não precisamos mais de você!".
Duas maldades:
  1. Além de deixarem de servir ao Senhor, o que se enquadra em um sinal de irresponsável ingratidão depois de tudo o que o Deus Eterno fez pelo povo, mesmo quando ainda eram escravizado por Faraó.
  2. Se não bastasse o primeiro erro; foram se dobrar, adorar a um deus que é infinitamente inferior, que não pode ajudar, que não teve nada a ver com a travessia do povo pelo deserto, que não teve participação nas providências sobre as necessidades básicas do povo.

Observe que Deus quis arrancar todos os habitantes de Canaã, pois foram muito rebeldes contra a vontade de Deus, e ainda assim permanecer com uma terra fértil, seria um contraste, ou seja, Deus tira do ímpio para entregar ao seu povo as benesses da terra, porque o seu povo denota fidelidade, por isso merece o melhor, porém, quando esse mesmo povo depois de ser agraciado por Deus, estabelecem limites territoriais, instalam-se na Terra Prometida, pecarem, transgredirem os mandamentos do Senhor, o mesmo permitirá que outro povo venha e tome posse daquela terra que um dia foi transferida para os agora desobedientes.

Em Jeremias 2.2 - O Senhor faz questão de lembrar de como os ambulantes do deserto, procuravam providências pelo menos enquanto estavam em terra muito seca, pra onde a nuvem da presença de Deus ia o povo seguia, em outras palavras havia uma certa dependência do povo para com o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Que momentos sublimes, oh! Deus! ser procurado, almejado quando estavam em perigo, com fome e sede, entretanto, O Deus Eterno deseja ser querido também nas horas de bonança, fartura e alegrias!

O perigo maior do desvio espiritual é a morte espiritual, pois o indivíduo morrendo fisicamente estando morto espiritual, a Palavra do Eterno indica que tal pessoa participará também da morte eterna (Ap 21.8)

A apostasia de Israel, o abandono da fé dos israelitas retrata a seguinte situação: Se O Eterno ocupava o espaço no coração deles, era o centro de suas vidas, então, se deixaram o Senhor, abandonaram a fé no Altíssimo, traíram a confiança de Deus, logo, aquele espaço ocupado pelo Senhor, agora ficou vago, eis aqui o primeiro problema, o vazio dentro do ser humano, quando este se encontra nessa situação, o mesmo procura ocupá-lo com alguma coisa que lhe traga algum benefício, porém, caso não preste bem atenção poderá ocupá-lo com algo extremamente perigoso, eis aqui o segundo problema, que afetará sua vida espiritual, física, emocional, profissional e até a sua condição na eternidade, o que é pior!