segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO

SUBSÍDIO PARA A 7ª LIÇÃO EM 14 DE AGOSTO DE 2011 - CPAD


A BELEZA DO SERVIÇO CRISTÃO

Esse título aponta nas suas entrelinhas para um dos sentimentos mais sublimes do Reino, a humildade (Mt 5; Fp 2.3; Cl 3.12; Ef 4.2; 1 Pe 5.5); que vem do latim humilitas, -atis, pequenez, modéstia) 

s. f.
1. Qualidade de humilde.
2. Capacidade de reconhecer os próprios erros, defeitos ou limitações. = MODÉSTIA ≠ ALTIVEZ, ARROGÂNCIA, ORGULHO
3. Sentimento de inferioridade. = REBAIXAMENTO
4. Demonstração de respeito, submissão. = DEFERÊNCIA, REVERÊNCIA ≠ DESRESPEITO
5. Ausência de luxo ou sofisticação. = SIMPLICIDADE, SOBRIEDADE≠ OSTENTAÇÃO


O serviço cristão se realiza em dupla direção, ou seja, de baixo para cima (dirigido a Deus, quando na adoração) e na horizontal (dirigido aos alheios, quando na Ação Social).

O que está por traz do serviço? qual o sentimento, o interesse, o objetivo ou a finalidade? Será o Interesse pessoal, a auto-promoção, a vanglória, os cargos ou posições eclesiásticas?

A glorificação do serviço prestado deve ser direcionado a Deus ou ao Ego pessoal (auto-glorificação)?

Em (Lc 17.10) observamos a inutilidade do servo que só faz o feijão com arroz (básico), é necessário que se faça algo mais..., pois esse "a mais" declara o compromisso e a disposição em servir. No entanto, hoje o que se vê é o descompromisso, a dispersão e a desobediência aos líderes (autoridades delegadas para o serviço a Cristo dar continuidade).

Atente que nos (vv. 14-17 de João 13) da leitura bíblica em classe, depreendemos de seu contexto alguns sentimentos e/ou virtudes como, humildade, honra, obediência, hierarquia, disciplina e ordem. Essas qualidades pressupõem-se que são inatas aos cristãos, porém, na prática não é o que se constata em muitas situações do dia a dia, em nossas igrejas.

Ainda focados na leitura bíblica, especificamente em (Atos 2.42), neste versículo entendemos que os primeiros cristãos aceitavam estar submissos aos apóstolos, estamos constantemente debaixo de autoridades delegadas por Deus, o que hoje não contemplamos de forma generalizada é a estrita obediência, apenas, por um pequeno contingente de servos. (no vv. 43 do mesmo capítulo citado no parágrafo) temos explícita o motivo pelo qual se via muitas maravilhas, o temor individual que praticado num todo e o resultado se podia contemplar nos milagres e prodígios. (no vv. 44-46 do mesmo capítulo citado no parágrafo) "estavam juntos e tinham tudo em comum", "vendiam suas propriedades" e "perseverando unânimes" e "singeleza de coração" são expressões que denotam união posto à prova, só o fato de se alimentarem juntos traz à tona à simplicidade, isto é, sem outras intenções, hoje se fizermos isso, é muito perigoso, pois não conhecemos uns aos outros, só e somente Deus conhece os corações, a realidade é que não existe o temor dos primeiros cristãos nas pessoas, perde-se o temor, perde-se muito espiritualmente, inclusive; estamos rodeados de vários tipos de aproveitadores carnais, tenhamos cuidado! Contudo, trabalhemos em favor dos necessitados de maneira sóbria, sábia e moderada, enfim, ensinemos como pescar e não só e somente só, darmos o peixe.


Em (At 5) comprovamos que Ananias podia muito bem ter ficado com sua herdade, o coração dele e da esposa estavam no bem material, isso não funciona; caso tivessem falado a verdade, não teriam nenhum problema; se nós não temos condições de contribuir financeiramente, também não devemos fazer sacrifício de tolos, esses não são aceitos! Agora, se você tem, e pode, ajude sem receio, pois Deus se agrada de quem assim o faz.


Nossas Ações Sociais ainda são muito deficientes em diversos aspectos, acredito que poderíamos fazer mais em prol dos mais carentes, no entanto, isso envolve questões financeiras, e aí a maioria das pessoas não pensam e não querem repartir o que tem.


Fala-se tanto em união em muitos púlpitos de nossas igrejas, mas no costume essa união é insuficiente, então porque é que não caimos "na graça de todo o povo" como era no princípio da igreja, por quê? 


Qualquer obrigação no serviço do Mestre a nós imposta é motivo de satisfação em poder servir a Noiva do Cordeiro e aos semelhantes de forma geral.


É bem verdade que o Serviço Cristão tem fundamento em Cristo, Ele deu o exemplo para que nós também o devêssemos fazê-lo; teria esse serviço um caráter incondicional? não é um serviço criado para outros fins, não é remunerado (casos a parte, existem àqueles que vivem da obra, p. e. missionários, pastores com tempo integral, e etc.), mas num geral a igreja não é uma empresa, no entanto, é preciso que a tarefa seja executada de maneira eficiente, a fim de que Deus seja Glorificado e não escarnecido!


Para a Proclamação da Palavra deve-se usar da melhor maneira os meios de comunicação existentes a nosso favor, a fim de alcançar um maior número de ouvintes.


O viver em comunhão serve de exemplo para a sociedade e atrai as pessoas.


Servir a Deus e ao próximo serve para comprovar o que pregamos e ensinamos.


Portanto, Jesus quis ensinar que para cobrar algum serviço, primeiro deve-se dar o exemplo. O Serviço Cristão é um serviço intrínsicamente voluntário. A igreja deveria ser um dos maiores centros de habilitação de carentes, doentes físico-psíquicos, não o é talvez pela falta de estrutura ou por ser um papel destinado ao Estado.