terça-feira, 25 de dezembro de 2012

MALAQUIAS - A SACRALIDADE DA FAMÍLIA



Depois do Eterno ter corrigido o pecado da idolatria durante o cativeiro na Babilônia, o povo aprendeu a lição de que não se devia adorar outro deus, exceto o Único e suficiente Salvador, Jesus Cristo! Fora  necessário o cativeiro. Agora outro problema devia ser trabalhado, o relacionamento com Deus e com a Família.

Há uma hierarquia entre prioridades na nossa vida, observe abaixo:


  1. Deus - Fé
  2. Família
  3. Trabalho
  4. Igreja - Obra de Deus
Atente que Deus precede à família, a família o trabalho e assim sucessivamente, são prioridades acima de prioridades que deve ser levada em consideração por todos nós!

Quando você está entre uma decisão que põe em pauta escolher entre a família e Deus, Deus é a prioridade! cf. "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."
Mateus 6:33

Quando você está entre uma decisão que põe em pauta escolher entre a família e o trabalho, a família precede! ou seja, a família é mais importante do que o trabalho, por ex.: se sua família precisa de você na hora do trabalho é mais prudente revelar a importância de sua presença perto dos seus!

Quando você está entre uma decisão que põe em pauta escolher entre o trabalho e a igreja, o trabalho deve ter prioridade! "No suor do teu rosto comerás o teu pão, ..." Gênesis 3:19

O Eterno não precisa de sacrifícios de tolos, por isso é importante seguir as prioridades!

Infelizmente, na atualidade não vemos mais os filhos pedirem a bênção aos pais, principalmente quando na presença de coleguinhas de mesma faixa etária.

Outro ponto relevante é a questão da maratona diária em que muitos pais não encontram tempo para conversar e/ou brincar com os filhos, isso é muito saudável para a família!

Se nós pais não pararmos e ensinarmos aos nossos filhos, podem ter a certeza de que o mundo os ensinará, e ensinará ERRADO!

Principalmente, percebemos que muitas famílias estão juntas, almoçam juntas, sentam na mesma mesa, estão debaixo de um mesmo teto, porém, ao mesmo tempo ESTÃO TÃO DISTANTES UNS DOS OUTROS QUE PARECEM QUE NÃO SE CONHECEM, só falam o necessário, ou seja, a sacralidade da família foi deteriorada e houve um desgaste ao longo do anos.

Nós cristãos, precisamos voltar às práticas mais básicas no seio familiar, como o culto domésticos, contar histórias e lições de vida para os filhos e vice e versa, ou melhor, ganhar tempo com qualidade com a família.

Ser família não é só oferecer o sustento e pronto, não! é mais que isso; suprir, proteger são necessidades básicas, mas amar é a principal e ninguém ama longe, o que tem-se notado é que daqui a pouco os filhos no quarto os pais na sala, pedirão a bênção pela internet ou celular, isso será uma tragédia!

Voltemos às boas práticas!!! Valorizemos as coisas simples!








sábado, 22 de dezembro de 2012

Zacarias - O Reinado Messiânico


Observe que em toda a Bíblia o Eterno sempre procurou estabelecer um povo, um território, o que tentou com os hebreus, e que mais tarde foram chamados de nação de Israel tendo por território o lugar denominado pelo Altíssimo de “Lugar que mana leite e mel = Canaã” (cf. Dt 6.9), porém, é interessante notar que para que a vontade de Deus se concretizasse só faltava um item para completar a tríade determinante de uma Nação/Estado/País, com o povo e o território que eram as leis, as diretrizes ou seja, as regras, porque nenhum povo subsiste sem normas de conduta.

O Reinado Messiânico é citado na profecia de Daniel (cap.2) quando na visão do sonho de Nabucodonosor, onde uma pedra arremessada sem mãos destruía a estátua, esta Pedra representa a pedra que os construtores rejeitaram, a principal de esquina, a qual Pedro se referiu depois que o paralítico fora curado, Jesus Cristo o Filho de Deus! (cf. Dn 2.44,45).

Entendemos pela Escritura Sagrada que para que o reinado messiânico ou milenial aconteça, como se trata de um evento escatológico, se faz necessário acontecerem antes os seguintes eventos futuros:

1.     Arrebatamento da Igreja (cf. 1 Co 15.51,52)
2.     Julgamento das obras (dos que foram arrebatados = receber galardão/recompensa) (cf. 1 Co 3.12-15)
3.     Bodas do Cordeiro (cf. Ap 19.7-9)
4.     Grande Tribulação (cf. Mt 24)
5.     Prisão de Satanás (cf. Ap 20)
6.     Reinado Milenial

Depois de Satanás ter sido amarrado, é lançado no “abismo” onde é encerrado completamente, ou seja, permanecerá aprisionado por mil anos. Não lhe será permitido exercer nenhuma atividade na terra até o final do milênio. 

O milênio será uma época diferente da que vivemos, Deus restaurará Israel à sua terra que ainda hoje é palco de disputas com os palestinos e proporcionará também uma restauração espiritual (cf. Zc 9.16). 

O Espírito Santo fará uma obra transformadora nos seres humanos, inclusive a atmosfera ficará livre de poluição. 

As nações que participarão do reinado milenial são citadas na Bíblia provavelmente serão aquelas nações que de certa forma ajudarão a Israel quando na perseguição, quando de fato reconhecerem que o Anticristo não é o Messias que eles aguardavam ser.

Passados os mil anos, Satanás será solto do abismo “por um pouco de tempo”. Ele voltará a praticar o engano, iludindo as nações para que se rebelem contra a autoridade e a vontade de Deus. Visto que os crentes já estarão para sempre com o Senhor (cf. 2 Ts 4.17), o enganados por Satanás serão muito provável os que tiverem nascido durante o milênio.