quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Os Dez Mandamentos do Senhor






Moisés subiu no Monte Sinai e Josué ficou ao pé do Monte aguardando seu líder, recebeu todas as orientações necessárias para compartilhar com o povo hebreu, a nação israelita em formação, pois um país é considerado nação quando possuem pelo menos os seguintes elementos:

  1. Povo
  2. Território
  3. Leis

Israel tinha povo e daqui a pouco teria território, mas e as leis?

O Eterno é "O Administrador por Excelência" pensa em tudo, planejou tudo, inclusive, sustentou Moisés durante 40 dias e 40 noites, no Monte Sinai, pois tinha um propósito, é impossível um ser humano passar todo esse tempo sem se alimentar, sem beber água, lembremos de que aonde estava era deserto, sem agricultura e sem subsistência, no entanto, o Deus de Abraão, Isaque e Jacó sabe trabalhar e não é ensinado, sabe fazer, embora muitas vezes não é compreendido, pois pega os sábios nas suas próprias sabedorias (que são apenas, trapos de imundícias).

O povo pensou que Moisés tinha morrido, porém, estava tendo uma conversa prolongada com Deus, afinal todo esse tempo houve um belíssimo diálogo, pois para poder ensinar ao povo, Moisés teve que primeiro aprender, e sabemos que nenhum professor ensina o que não sabe, pelo menos tem que saber do conteúdo na teoria.

Quando menos se espera, Moisés aparece, no entanto, estava munido do decálogo e de instruções para a nação que se levantava da terra, a partir do capítulo 20 de Êxodo encontramos uma série de ensinamentos que serviriam de base educacional, para que houvesse um mínimo de ordem dentro daqueles seiscentos mil homens, fora mulheres e crianças.

Dentre as regras estavam os Dez Mandamentos; as leis acerca do tabernáculo, tamanho da peças, utensílios; leis a respeito das viúvas, órfãos e estrangeiros etc.

Os Dez Mandamentos são a base do direito hoje conhecido, explorado conseguinte pelos romanos que adaptaram a outras esferas principalmente à forma de convívio das pessoas, especialmente o direito civil e o penal.