terça-feira, 18 de março de 2014

A Consagração dos Sacerdotes



A consagração dos sacerdotes era um verdadeiro cerimonial de dedicação ao serviço na obra de Deus. A figura do sacerdote representava um instrumento utilizado para restauração do pecador, precisava ser consagrado, estar consagrado e permanecer consagrado! Há uma diferença entre a função do profeta e do sacerdote, a deste é representar o povo diante de Deus (Servia como um intermediário, um intercessor), oferecendo sacrifícios e ensinando a lei aos hebreus/israelitas já àqueles era representar Deus diante do povo (Recebia a mensagem de Deus e transmitia ao povo).




Sobre a consagração propriamente dita temos três elementos essenciais:

  1. Água - Atualmente somos purificados pela Palavra e pelo Sangue de Cristo.
  2. Óleo - Apontava para a presença do Santo Espírito.
  3. Sangue - Apontava para o sacrifício de Cristo por nós.
Há uma necessidade contínua de se consagrar para o serviço na obra de Deus. Pois os sacrifícios eram apenas um paliativo, pois lembrava ao povo de que se pecassem teriam de matar um animal inocente, quantos animais não foram mortos!? Após os sacrifícios o pecado ainda estava em ação, porém, o sacrifício de Cristo é perfeito, eterno e suficiente! Não há mais necessidade de sacrificar nem animais e nem pessoas!

Na atual dispensação temos a graça de Deus que nos constrange a voltarmos ao primeiro amor e a pedir perdão diariamente, até porque fomos e somos redimidos pelo sangue de Jesus, então, com sinceridade e reverência somos perdoados pelos pecados acidentais, porém, não é por isso que vamos sair por aí, procurando pecar!

Então, temos A Lei (apontava o pecado) - Sacrifícios (paliativos) - Cristo (implantou a sua lei em nosso coração!). Antes de pecar, se lembre do sacrifício de Jesus, ou se lembre que em outros tempos, um animal deveria ser morto para cada pecado cometido, você seria capaz de crucificar a Cristo de novo!?



domingo, 2 de março de 2014

As Leis Civis Entregues por Moisés aos Israelitas



"Um dos maiores legados mosaicos deixados para nós é o conjunto de leis civis, penais, trabalhistas e relações sociais. Na lei mosaica constata-se pela primeira vez, um maior uso de penas proporcionais aos crimes cometidos, a não distinção de aplicação de pena por classe social do criminoso ou da vítima; a figura do dano moral; a distinção entre homicídio acidental, desculpável e justificável; e muitas outras medidas legais pioneiras."

A ordem social, as boas relações, a educação e o compromisso com o respeito alheio advêm de um nível superior de existência, é vontade de Deus que os homens se respeitassem e se considerassem mutuamente, porém, ao longo da história da humanidade reconhecemos que alguns tentaram usar seu semelhante como se fossem meramente cifras e números.

Há uma infinidade de leis e procedimentos garantidos na lei mosaica, porém, em suma, observemos que o sentido e a razão de sua aplicação se baseava na famosa de Lei de Newton "ação e reação", onde para cada comportamento errado teria como consequência uma punição, restrição e no último caso a morte. Quem praticasse, já conheceria o resultado. se hoje ainda vemos atrocidades com as leis em pleno vigor, imaginem se não tivêssemos disponíveis a legislação. 

O registro de leis deixa claro que ninguém pode se excusar de conhecimento de tais leis, dizendo que não sabia, porque depois de promulgada fica subtendida que todos a conhecem! Se não existisse leis, regras, diretrizes, o raciocínio dedutivo ou indutivo, sem dúvidas, ainda seríamos homens e mulheres na era das cavernas! Mas somos gratos a Deus e em parte a evolução da ciência e tecnologia, embora saibamos que estas têm alguns resquícios de sentidos divergentes na criação e implementação de tais leis!